quarta-feira, maio 18, 2022

Últimas Postagens

Freio de Ouro do Uruguai classifica ginete mais jovem da história

Seletiva concluída neste domingo (8) em Montevidéu, no Uruguai, classificou oito conjuntos para a final do Freio de Ouro 2022. A etapa realizada no Parque Rural del Prado registrou um fato marcante, classificando Francisco Cachapuz Móglia, de 13 anos, o mais jovem ginete da história em uma decisão do Freio.

Foto: ZAF Fotografias/divulgação

Na disputa da categoria machos, o vencedor da provou lideroua liderança foi de ponta a ponta do vencedor da prova: Tio Laurindo do Cerro Frio largou com a melhor avaliação morfológica e não saiu do 1º lugar, fechando sua participação com a maior média da classificatória: 20,621 de nota final. Filho de Capanegra Sereno II e Gilca Vencedor, o cavalo zaino foi criado e exposto pela Cabanha Cerro Frio e montado nesta semifinal por Tomaz Gonçalves, .escolhido como o Ginete Destaque na categoria. Além do vencedor, o treinador e ginete classificou mais dois animais (Leão da Vendramin e Bombacha do Monjolo) na disputa realizada em solo uruguaio.

O jovem Francisco Cachapuz Móglia, o “Pancho”, garantiu sua vaga com Jatobá Cala Bassa. Ele bateu o recorde anterior do multicampeão Daniel Teixeira, que participou de sua primeira final com 14 anos de idade, em 1994, quando ganhou o Freio de Bronze.

Este foi o primeiro ciclo em que Pancho competiu como profissional nas disputas do Freio. Em março deste ano, ele havia dividido o pódio com o pai, Marcelo Rezende Móglia, na credenciadora realizada em Pelotas (RS). O feito repetido no Uruguai, já que Marcelo também classificou sua montaria, Jota Mouro Cala Bassa, para a grande final.

Na categoria fêmeas, houve concorrência acirrada para definir as colocações. Ao término da última corrida de campo, foi Imaginada Cala Bassa quem ficou com o troféu de 1º lugar da seletiva, ao alcançar 18,797 de nota final. Montada pelo ginete uruguaio Juan Pablo Gonzalez (eleito Ginete Destaque da categoria), a égua tostada é sangue de Quebracho da Boa Vista na mãe Ferradura Cala Bassa, criada pela Cabanha Cala Bassa e exposta nesta classificatória por Ana Paula Correa da Silva. Entre as éguas classificadas, também houve a presença de uma filha de Colibri Matrero, cavalo bicampeão do Freio: Pacifica Posadeña, que terminou a prova no 4º lugar da categoria.

De 5 a 8 de maio, 28 conjuntos (17 fêmeas e 11 machos) disputaram a classificatória internacional julgada por Francisco Kessler Fleck, Gustavo Silveira Rodrigues e Leonardo Rodrigues Teixeira. A supervisão técnica da semifinal esteve a cargo de Frederico Vieira Araújo, técnico credenciado e atual Superintendente de Registro Genealógico da Associação Brasileira de Criadores de Cavalos Crioulos (ABCCC).

Confira a classificação completa:

Fêmeas

1º lugar
IMAGINADA CALA BASSA
Expositor: Ana Paula Correa da Silva
Ginete: Juan Pablo Gonzalez
Nota: 18,797

2º lugar
NÉCTAR DA CABANHA SANTA FÉ-TE
Expositor: Nicolas O’Brien Fernandez
Ginete: Juan Pablo Gonzalez
Nota: 18,155

3º lugar
BOMBACHA DO MONJOLO
Expositor: Agro-Pecuária Fortaleza
Ginete: Tomaz Gonçalves
Nota: 18,055

4º lugar
PACIFICA POSADEÑA
Expositor: La Pacifica
Ginete: Gabriel Marty
Nota: 18,029

Machos

1º lugar
TIO LAURINDO DO CERRO FRIO
Expositor: Cabanha Cerro Frio
Ginete: Tomaz Gonçalves
Nota: 20,621

2º lugar
JOTA MOURO CALA BASSA
Expositor: Marcelo Rezende Móglia
Ginete: Marcelo Rezende Móglia
Nota: 19,224

3º lugar
JATOBÁ CALA BASSA
Expositor: Marcelo Rezende Móglia
Ginete: Francisco Cachapuz Móglia
Nota: 18,798

4º lugar
LEÃO DA VENDRAMIN
Expositor: Roseri Rogerio da Silva (Cabanha Relanciana)
Ginete: Tomaz Gonçalves
Nota: 18,751

VER MATÉRIA ORIGINAL

Latest Posts