segunda-feira, maio 23, 2022

Últimas Postagens

Alagoas dá início à segunda etapa de vacinação contra peste suína clássica

Em ação do programa do Plano Estratégico Brasil Livre de Peste Suína Clássica (PSC) em Alagoas, lançado em 2021, o Ministério da Agricultura (Mapa) e a iniciativa privada realizam de 21 de março a 30 de abril a segunda etapa de vacinação contra a doença no estado. Estima-se que serão vacinados cerca de 120 mil suínos.

As vacinas aplicadas nesta etapa são doadas pela Zoetis Indústria de Produtos Veterinários Ltda. e a aplicação das doses será feita por 120 vacinadores contratados pela iniciativa privada.

“O suinocultor enfrenta um momento muito complicado nos últimos meses, com alto custo de produção e baixo preço de venda, é uma das piores crises da suinocultura brasileira. Para que esta crise não seja agravada por questões sanitárias, o Mapa e a iniciativa privada trabalham em conjunto para salvaguardar a atual zona livre de PSC e para prevenir outras doenças importantes para a suinocultura”, explica o diretor do Departamento de Saúde Animal da Secretaria de Defesa Agropecuária, Geraldo Moraes.

Foto: Pixabay

Os investimentos para execução do projeto piloto, que envolve a vacinação contra a contra a peste suína em Alagoas, são provenientes de parceria público-privada e somam mais de R$ 2 milhões.

Também conhecida como febre suína, a PSC é uma doença viral, altamente contagiosa e que afeta somente suínos domésticos e asselvajados, não sendo transmissível a humanos. Os principais sintomas nos animais são febre alta, lesões avermelhadas na pele, conjuntivite, falta de apetite, fraqueza, diarreia e aborto.

Além de Alagoas, outros dez estados fazem parte da zona não livre da doença, sendo eles Amapá, Amazonas, Ceará, Maranhão, Pará, Paraíba, Pernambuco, Piauí, Rio Grande do Norte e Roraima.

Resultados da primeira etapa de vacinação

Na primeira etapa de vacinação contra a PSC em Alagoas, executada entre junho e agosto de 2021, foram vacinados cerca de 112 mil suínos, distribuídos em mais de sete mil propriedades rurais do estado.

A vacinação foi realizada por meio de 60 vacinadores contratados pela iniciativa privada e com vacinas doadas pela Zoetis. Já a fiscalização e auditoria do processo foi realizada pela Agência de Defesa e Inspeção Agropecuária de Alagoas (Adeal) e pelo Mapa.

Plano Livre de Peste Suína Clássica

Com o objetivo de erradicar a peste suína clássica nos estados que compõem a Zona Não Livre do Brasil, o Ministério da Agricultura em parceria com os setores público e privado vem realizando o projeto piloto de implantação do Plano Estratégico Brasil Livre de Peste Suína Clássica em Alagoas.

A iniciativa visa identificar as limitações e reunir elementos para entendimento dos problemas surgidos, de forma a subsidiar o planejamento e gestão de ações para erradicação da PSC nas áreas não livres existentes no território nacional.

“Entre as justificativas para a continuidade do projeto piloto, estão a oportunidade de conhecimento e análise dos aspectos da suinocultura local, da sustentação financeira e da interação entre os atores da cadeia produtiva de suínos”, explica Moraes.

Zonas livres no Brasil

As zonas livres de PSC do Brasil são reconhecidas pela Organização Mundial de Saúde Animal (OIE) e a vacinação é proibida.

A zona livre concentra mais de 95% de toda a indústria suinícola nacional. Toda a exportação de suínos e seus produtos vêm da zona livre, que incorpora 15 estados e o Distrito Federal (RS, SC, PR, MG, SP, MS, MT, GO, RJ, ES, BA, SE, TO, RO e AC). As áreas não registram caso da doença de PSC desde janeiro de 1998.

Os limites entre as zonas livre e não livre de PSC são protegidos por barreiras naturais e postos de fiscalização, onde procedimentos de vigilância e mitigação de risco são adotados continuamente para evitar a introdução da doença

VER MATÉRIA ORIGINAL

Latest Posts