terça-feira, outubro 19, 2021

Últimas Postagens

Novo Concorde: supersônico sustentável Overture está a caminho da certificação

O supersônico civil Overture está (com o perdão do trocadilho) voando para ser certificado pela Federal Aviation Administration (FAA, o órgão regulador de avião nos EUA). E, com isso, finalmente fazer ocupar o lugar deixado pelo saudoso Concorde, que deixou os céus em 2003.

O avião comercial supersônico da americana Boom Supersonic está sendo preparado para sobrevoar o mundo com combustível 100% sustentável (SAF – Sustainable Aviation Fuel). E esse seu aspecto de sustentabilidade é a grande melhoria com relação ao velho Concorde, que tinha um histórico impecável até ocorrer seu único acidente, em 2000, mas foi cancelado por causa do alto custo de manutenção e da alta emissão de poluentes na atmosfera e poluição sonora.

publicidade

Imagem: Divulgação/Boom Supersonic

Para estar devidamente em dia com sua certificação na entidade governamental americana responsável pelos regulamentos e todos os aspectos da aviação civil nos EUA, o avião precisa responder a alguns critérios. Tom Peters, diretor de certificação de aeronaves da Boom, compartilhou recentemente que a empresa está trabalhando nesse sentido.

Três áreas principais na certificação do supersônico

Peters diz que os trabalhos estão voltados para a detecção de quaisquer desafios que possam se tornar um problema durante o processo de certificação e fazendo as alterações de design necessárias. De acordo com o diretor, existem três áreas principais relacionadas à certificação que são particularmente interessantes no caso deste avião supersônico.

A primeira é um pouco óbvia, pois tem a ver com a velocidade do Overture. Segundo Peters, a maioria dos requisitos da FAA são gerais o suficiente para serem atendidos por aeronaves supersônicas, sem mudanças drásticas no projeto. Aqui, estamos falando de voos que alcançam velocidade de mach 1,7, o que corresponde a cerca de 2.100 km/h, o que é mais ou menos o mesmo que o Concorde fazia.

Ilustrando em viagens, temos um percurso de Nova York a Londres em apenas três horas e meia, por exemplo. Para termos uma ideia, nos modelos convencionais de aviões, esta viagem demora duas vezes mais, praticamente: seis horas e meia.

Um estrondo no caminho

Ironicamente para uma empresa chamada Boom, um empecilho no sucesso de seu avião é justamente o “boom”. Quando uma aeronave ultrapassa a velocidade do som, ela emite o estrondo sônico (“sonic boom” em inglês, de onde vem on nome da empresa). É um ruído muito alto, similar a uma explosão e gera um impacto significativo sobre a fauna e regiões habitadas que estão sendo sobrevoadas.

Como não há aviões supersônicos atualmente em operação, padrões específicos de ruído datam da época do Concorde. Na prática, eles proíbem que supersônicos civis sobrevoem continentes, restringindo-os a voar sobre o mar.

Peters afirma que o desenvolvimento do Overture está levando em consideração esses padrões, de forma a tentar um veículo que possa ser usado sobre continentes. A Nasa vem realizando pesquisas nas quais, em tese, um supersônico poderia voar com um ruído de 75 decibéis percebidos em solo, contra 105 do Concorde. Isso tornaria viáveis viagens continentais.

Voos sem emissão

A terceira área apontada por Peters tem a ver com o funcionamento da aeronave com combustível sustentável (SAF). O Overture deve responder a todas as recomendações de sustentabilidade e irá voar com zero emissão de carbono.

avião Overture no céu
Imagem: Divulgação/Boom Supersonic

Para termos um parâmetro junto ao Concorde, o supersônico de outrora precisava consumir uma quantidade muito grande de combustível fóssil (querosene de aviação) para manter sua velocidade. Parte considerável era gasta com o afeterburner, a queima de combustível na saída da turbina, que faz a velocidade do avião crescer significativamente.

De acordo com Peters, vários tipos de combustível SAF já estão homologados e disponíveis para operação comercial. Esses são “combustíveis drop-in”, que não exigem nenhuma alteração no avião ou no motor. Com isso, o Overture traz uma resposta bem vinda junto à sustentabilidade.

Leia mais:

Por fim, a Boom também está trabalhando com a FAA para estabelecer os requisitos básicos de treinamento para os futuros pilotos da aeronave, bem como um programa de manutenção recomendado. As expectativas são de que os testes de voo comecem em breve.

Em junho, trouxemos que a United Airlines anunciou a compra de 15 aviões comerciais supersônicos Overture (podendo estender o contrato para mais 35 aeronaves), com o lançamento oficial devendo acontecer em 2025. O primeiro voo oficial está planejado para ocorrer em 2026, já o transporte de passageiros (até 88 pessoas) está previsto para começar em 2029.

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal.



VER MATÉRIA ORIGINAL

Latest Posts

Não Deixe de Ler