domingo, outubro 17, 2021

Últimas Postagens

É possível dar total autonomia para uma inteligência artificial?

Estudos apontam que homem não seria capaz de controlar inteligência artificial que toma suas próprias decisões

Hoje em dia, as inteligências artificiais já deixaram de ser um tema exclusivo da ficção científica e estão cada vez mais integradas em nossas vidas. O assistente virtual do seu smartphone, uma máquina capaz de realizar suas tarefas por conta própria, algoritmos que coletam informações rede adentro – todos esses são exemplos simples de IAs que fazem parte do nosso dia a dia, e muitos nem se dão conta.

Quando o assunto é inteligência artificial, sempre vem à tona aquela velha pergunta: quando veremos IAs totalmente autônomas, que pensam e agem por si mesmas, assim como vemos nos filmes e na literatura? De acordo com um estudo publicado no Journal of Artificial Intelligence Research, isso já é possível, mas seria simplesmente inviável criar uma IA 100% independente, pois o homem não conseguiria ter nenhum controle sobre suas ações.

Toda inteligência artificial é criada com uma série de algoritmos de contenção, buscando limitar sua autonomia e permitir que seja controlada quando necessário. Essa é uma medida de segurança, que visa prevenir qualquer tipo de comportamento inesperado, algo que seria impossível de alcançar com uma superinteligência que tenha livre arbítrio. Não seria possível simular as ações dessas IAs mais desenvolvidas e, logo, elas poderiam se tornar uma grande ameaça à segurança humana.

Graças aos sofisticados algoritmos de adaptação que existem hoje, essas inteligências artificiais são capazes de aprender milhões de coisas em questão de segundos, o que as levaria a mudar seu comportamento constantemente e as tornaria completamente imprevisíveis. O que a princípio seria desenvolvido para auxiliar a humanidade poderia acabar se tornando uma grande catástrofe, pois não existe garantia de que essas IAs não se virariam contra seus criadores.

Hoje, já existem inteligências artificiais integradas nos mais diversos dispositivos – desde televisões até uma geladeira Samsung. Apesar de desempenhar funções simples, elas já seriam capazes de fazer muito mais sem todos esses protocolos de segurança. Em um futuro muito próximo, até as IAs mais simples terão a capacidade de se replicar e criar outras IAs, como é o caso do Projeto POET, uma iniciativa dos pesquisadores de inteligência artificial da Uber, que visa ensinar bots a aprender e se desenvolver, através de tentativa e erro.

Os avanços tecnológicos deste segmento são quase ininterruptos, e, muito em breve, teremos IAs ainda mais avançadas do que as que vemos hoje, mas sempre dentro das limitações impostas pelo código de ética dos desenvolvedores: nenhuma inteligência artificial deve ser criada quando não é necessária.

VER MATÉRIA ORIGINAL

Latest Posts

Não Deixe de Ler