terça-feira, novembro 30, 2021

Últimas Postagens

desinteresse chinês complica conjuntura de mercado no Brasil, diz Safras

O mercado físico de boi gordo voltou a se deparar com queda nos preços da arroba na nas principais praças de produção e comercialização do país. Segundo o analista da Safras & Mercado, Fernando Henrique Iglesias, perspectiva de queda no decorrer da semana, o ambiente de negócios ainda sugere por novas tentativas de compra abaixo da referência média por parte dos frigoríficos.

A ausência de informações sobre a China segue pressionando o mercado. O Governo Federal do Brasil ainda busca alternativas para solucionar o imbróglio o mais rápido possível, mas as autoridades chinesas não demonstram interesse concreto em retomar as compras de carne bovina do Brasil após os casos de vaca louca já esclarecidos.

Segundo informações da Safras, um lote de carne bovina brasileira teria sido rejeitado na alfândega chinesa, e os frigoríficos estariam tentando realocar a carga para o porto de Hong Kong ou para o Vietnã.

“O cenário se mostra muito desafiador tanto para a indústria, quanto para os pecuaristas. A cada dia sem a China do lado comprador, mais difícil se torna o quadro para a pecuária de corte brasileira”, salienta Iglesias.

Com isso, em São Paulo, Capital, a referência para a arroba do boi ficou em R$ 267 na modalidade à prazo. Em Goiânia (GO), a arroba teve preço de R$ 250. Em Dourados (MS), a arroba foi indicada em R$ 267. Em Cuiabá, a arroba foi negociada por R$ 257. Em Uberaba, Minas Gerais, preços a R$ 257.

Atacado

Já os preços da carne bovina ficaram estáveis no atacado. O ambiente de negócios permanece complicado, ainda em viés de baixa. “O cenário permanece muito complicado, com a demora da China em retomar as importações de carne bovina brasileira se torna cada vez maior a possibilidade de os frigoríficos disponibilizarem a carne bovina armazenada nas câmaras frias no mercado doméstico, uma vez que não há mercados com o potencial de consumo da China. Esse movimento tende a contaminar as demais proteínas animais, como a carne de frango e a carne suína”, disse o analista.

O quarto dianteiro seguiu precificado a R$ 20,70 por quilo. Quarto dianteiro ainda é cotado a R$ 14 por quilo. Ponta de agulha segue precificada a R$ 13,80, por quilo.

VER MATÉRIA ORIGINAL

Latest Posts

Não Deixe de Ler