terça-feira, outubro 19, 2021

Últimas Postagens

O que não fazer ao migrar um sistema para a nuvem?

O armazenamento em nuvem sem sombra de dúvidas é muito utilizado nos dias de hoje e ganhou uma importância absurda nos mais variados meios de trabalho, afetando até mesmo as pessoas que utilizam ela apenas como um backup pessoal.

Às vezes, pode ser necessário mudar todo um sistema para que funcione melhor em nuvem e isso pode ser uma tremenda dor de cabeça, caso não se tome os devidos cuidados para que a migração seja o mais fluida e direta possível.

Seguindo essa linha de raciocínio, o texto de hoje abordará alguns cuidados e ações que devem ser tomadas ao migrar um sistema para a nuvem, evitando problemas que podem causar um imenso prejuízo ao negócio de software de GED (Gerenciamento Eletrônico de Documentos).

Armazenar informações sempre foi uma dificuldade para todas as empresas e, mesmo aquelas que possuíam métodos seguros para tal, sabiam que ter diversos servidores e computadores para cuidar disso era bastante trabalhoso.

Com a chegada da internet e o avanço da tecnologia, o armazenamento em nuvem veio ganhando espaço, e aos poucos, se tornou uma realidade tanto na vida de diversas empresas quanto de pessoas comuns.

Agora, diversos serviços que oferecem suporte de informatica para empresas, por exemplo, conseguem gerir uma enorme quantidade de dados de forma rápida, segura e com acesso às pessoas escolhidas que podem encontrar informações de onde estiverem.

Para muitos, esse tipo de tecnologia é bastante complicado, afinal, armazenar diversas informações importantes em um lugar que não é físico realmente pode ser difícil de compreender no começo. Mas é extremamente benéfica para as empresas.

Porém, é necessário tomar alguns cuidados para que a sua empresa declaração de imposto de renda não acabe cometendo erros que podem ser muito prejudiciais ao tentar migrar seu sistema para um sistema que utilize a nuvem.

Para entender melhor que erros são esses, como evitá-los e ficar por dentro de tudo sobre o assunto, confira os tópicos abaixo onde ele será melhor desenvolvido.

O conceito de computação na nuvem

Primeiramente, antes de irmos a fundo no tema, é importante que fique muito claro o que é o sistema de armazenamento na nuvem.

De forma simples e direta, nada mais é do que a utilização de maneira remota ou não de grandes servidores na internet, normalmente, originais de grande provedoras deste tipo de serviço, como a própria Google e a Microsoft.

Através de algum dispositivo conectado a internet, mesmo uma administradora predial SP poderia armazenar dados, gerenciar uma grande quantidade de informações, executar processos e programas sem a necessidade de uma estrutura física.

Além de proporcionar uma grande facilidade para aqueles que utilizam o sistema, aumenta a segurança dos dados da empresa, diminuindo a probabilidade de perda ou compartilhamento de dados, dependendo da forma como foi configurado.

Porém, mesmo uma empresa que tenha experiência no meio digital e entenda o que é necessário para realizar uma migração de sistemas e trabalhar na nuvem, entende que possuem algumas dificuldades de trabalhar com ela.

Mesmo utilizaNdo um software de logistica para ajudar, alguns dos desafios encontrados, normalmente, estão relacionados a:

  • Problemas com a internet;
  • Planejamento correto da migração;
  • Não encontrar um fornecedor ideal para o processo;
  • Falta de organização dos dados.

Claro que é possível destacar outras dificuldades, mas elas irão variar de empresa para empresa. De maneira geral, as que acima foram mostradas são as que causam mais problemas para diversas organizações.

Além disso, existem certos ramos de negócio que não podem se dar ao luxo de errar em uma migração, como as que trabalham com sistema para emissão de nota fiscal, podendo ser um problema que envolve até mesmo processos burocráticos governamentais.

Erros no processo de migração

Agora que já ficou mais claro o motivo do sistema em nuvem ser tão interessante e atual, além dos diversos benefícios que ele pode trazer, chegou o momento de entender o que não deve ser feito ao migrar qualquer sistema para a nuvem.

Com isso, podemos destacar alguns tópicos como:

01 – Não se planejar

A falta de planejamento é fatal para qualquer processo, mesmo aqueles que envolvem de alguma maneira os dados e informações pessoais do cliente, como um programa delivery pizzaria.

Infelizmente, é comum que diversas pessoas busquem e esperem sempre que tudo esteja funcionando o melhor possível, como um passe de mágica, sem querer entender todo o processo que engloba o problema e pensar na melhor maneira possível de resolvê-lo.

Ao começar a pensar na migração do seu sistema para a nuvem, é interessante que comece também o seu planejamento, para que assim ele ocorra junto do desenvolvimento, otimizando tempo, espaço e dinheiro ao longo do processo.

É normal que problemas aconteçam, mas não planejar uma mudança tão radical pode ser fatal e trazer diversos prejuízos para o seu negócio. Portanto, não espere até que isso aconteça e comece desde já a se planejar.

02 – Não documentar as mudanças

Assim como um curso tecnico de informatica a distancia documenta as mudanças e avanços dos alunos que ali estudam, a sua empresa deve documentar tudo que acontece durante a mudança de um sistema para o outro.

Muitos caem na armadilha de não documentar por saber de cabeça, mas é importante lembrar que outros irão utilizar do sistema posteriormente, pois registrar o que mudou e o que não mudou é essencial para a organização da empresa inteira por si.

03 – Ignorar a auditoria de dados

Quando se fala em auditoria de dados, a ideia é de um processo que tenha como objetivo verificar a qualidade dos dados que serão migrados de um sistema para o outro, evitando dados duplicados, corrompidos ou a ausência de algum que seja de suma importância.

No momento da pressa, ou por não conferir e realizar uma auditoria, sua empresa pode acabar deixando passar uma sequência de dados essencial para o funcionamento de alguma tarefa ou demanda em específico, prejudicando o processo em algum momento.

Conforme dito em tópicos anteriores, se planeje para que isso não aconteça e confira o que está sendo levado na migração, garantindo que todos os dados que precisa estarão no novo sistema na nuvem. Por isso, é melhor prevenir do que remediar.

04 – Não categorizar os dados

Quando pensamos no processo de categorizar os dados, na verdade, nos referimos ao ideal de mapear os dados, sabendo o que cada um interfere, qual seu impacto e onde ele deve ser utilizado.

A partir do momento em que falta um mapeamento, isso significa que não será possível verificar onde estavam alguns problemas que aconteciam no sistema antigo e verificar como estão funcionando no novo, podendo ou não estar ligados ao armazenamento de dados.

Isso auxilia também a equipe de migração entender qual solução tomar para que o problema se resolva e se é o mais correto para aquela situação em específico a migração de dados.

05 – Insistir em modelo antigo de negócios

Se tem uma coisa que muitas empresas têm ainda nos dias de hoje é a resistência de mudança de sistemas para novas tecnologias, sejam por elas serem caras demais, difíceis demais ou por necessitarem de uma mudança radical por parte do negócios.

Esse é um dos erros mais prejudiciais possíveis para qualquer empresa, afinal, a tecnologia está aí para ser usada como ferramenta de melhoria para todo o ramo de atuação das e não utilizá-la a seu favor é um tremendo erro.

A grande maioria das empresas sabe que a tecnologia é uma forma de otimizar processos, aumentar a produtividade de diversos setores da empresa e melhorar a segurança de dados, portanto, não se adaptar a isso pode significar o fim de sua marca.

Ademais, a mudança, mesmo que radical, é benéfica pelo fácil acesso a informações de maneira remota, além da integração com outros sistemas e a utilização correta da internet para otimizar processos internos do negócio.

Considerações Finais

O texto de hoje abordou o que não fazer ao migrar um sistema para a nuvem, mostrando como funciona a computação em nuvem, qual seus benefícios e algumas dicas e orientações valiosas para que o processo seja o mais fluido possível.

Claro que muita coisa irá depender do tamanho da empresa, a quantidade de informações que devem ser migradas e qual o tamanho dessa mudança, mas procure utilizar tudo que foi disponibilizado ao longo do texto como forma de orientação no processo.

Agora que já entende o impacto que tudo isso pode causar no seu negócio, chegou o momento de sentar com aqueles que são responsáveis pela migração dos sistema e apontar esses cuidados para que a sua empresa encontre menos problemas durante todo o processo.

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

VER MATÉRIA ORIGINAL

Latest Posts

Não Deixe de Ler