terça-feira, outubro 19, 2021

Últimas Postagens

Faturamento com exportação de grãos pode bater recorde na Argentina

Com base nas primeiras projeções de produção e nos preços FOB diferidos vigentes até o momento, a exportação dos principais grãos na Argentina permitiria um faturamento recorde de divisas na Argentina, que poderá chegar a US$ 36,7 bilhões segundo avalição da Bolsa de Comércio de Rosário.

Ao se aproximar o início da janela de semeadura para a safra, as intenções dos produtores estão sendo definidas e uma primeira aproximação pode ser feita a respeito do que poderá acontecer com a produção dos principais grãos e cereais em 2021/22 da Argentina e qual seria a contribuição de divisas que eles podem gerar em termos de exportações.

Para o novo ciclo, a soja deve perder quase 500.000 hectares e seriam semeados 16,2 milhões de hectares, a menor área em 15 anos. Desta forma, projeta-se uma produção de 49 milhões de toneladas de soja em grão na nova safra. Esta queda na área da soja contrasta com o resto das principais culturas: o milho cresceria 8,5% com um total de 7,9 milhões de hectares plantados e 6,9 milhões colhidos, o que permitiria atingir uma produção recorde de 56 milhões de toneladas; o sorgo teria sua superfície aumentada para 1,1 milhão de hectares (12% a mais que no ciclo anterior) e uma produção projetada de 3,3 milhões de toneladas; e o girassol aumentaria 20% para chegar a 1,7 milhão de hectares plantado, o que prevê uma produção de 3,4 milhões de toneladas.

Área de soja será menor na Argentina, enquanto produção de milho deve crescer Foto: Cidasc

Do lado da boa colheita, tudo depende da variável incontrolável por excelência para o produtor agrícola, o clima dos próximos meses. As chuvas dos primeiros dias de setembro têm sido recebidas de braços abertos pela lavoura, portanto as perspectivas de produção continuam promissoras. O trigo pretende obter uma produção recorde de 20,5 milhões de toneladas.

Com base nessas estimativas de produção, as exportações totais dos principais itens das cadeias agroalimentares estão projetadas em 99,2 milhões de toneladas, o que pode se tornar o segundo maior recorde da história. Apenas a temporada 2018/19 superou em quantidade a previsão de vendas externas para o novo ciclo, com 100,9 milhões de toneladas.

Assim, com base nas projeções de produção e exportação das principais safras, a preços correntes o complexo agroindustrial argentino alcançaria uma receita cambial de US$ 36,7 bilhões, somados os principais grãos e derivados. Se esse valor for efetivado, a marca do ciclo atual seria ultrapassada em mais de US $ 1.600 milhões e seria a mais alta de todos os tempos no valor das exportações dos principais complexos do setor.

Preço dos grãos

Embora os preços médios de exportação da grande maioria dos grãos e subprodutos fossem ligeiramente mais baixos no próximo ciclo de negócios em comparação com os recebidos na temporada atual, a produção projetada mais alta mais do que compensaria a queda nos preços.

No caso do complexo do trigo, o valor das exportações de cereais projetadas para 2021/22 chegaria a US $ 3.783 milhões, mais de US $ 1.200 milhões do que na safra anterior. Isso se deve a dois fatores juntos. Por um lado, os preços FOB diferidos dos cereais para a nova safra continuam elevados.

Quanto ao complexo soja, principal complexo exportador do país, a expectativa para o ciclo 2021/22 é que o valor das exportações permaneça praticamente idêntico ao estimado para o ciclo atual, atingindo US $ 21.470 milhões.

VER MATÉRIA ORIGINAL

Latest Posts

Não Deixe de Ler